X

blog

Casa na rvore Contempornea

30 / NOV / 2014


 

            Existe um modelo construtivo muito comum na zona rural do Sri Lanka chamado " Chena Watch-Hut ". Consiste em uma estrutura elevada numa propriedade agrícola, que possibilita ao dono uma visão completa do espaço.

            Ligado à tradição vernacular, porém muito consciente das novas tecnologias, Narein Perera, arquiteto local, adaptou a "Watch Hut" a um moderno,porém aconchegante bangalô,, com 120m², na cidade de Matugama.

            Estrategicamente situado no alto de uma enorme propriedade, na divisa entre uma plantação de borracha e o início da floresta, o bangalô atende à proposta de domínio da paisagem, durante todas as estações do ano.

            O proprietário, um jovem empresário, buscava um espaço de descanso para ele, sua família e amigos. Um lugar que pudesse eventualmente ser alugado, servindo como fonte de renda, atendendo a um público que, como ele, quisesse escapar do agito da ciadade grande.

            A palavra chave para a concepção do projeto foi "descanso". Sendo assim, o programa consistiu na criação de 3 dormitórios com banheiros anexos, além de um amplo espaço multifuncional. que se adaptasse, conforme a demanda do usuário. 

            O escalonamento entre pavimentos é outro ponto interessante: os dormitórios foram posicionados um em cada andar, e não existe cozinha ou área de serviço: apenas uma despensa ao lado da área de estar.

            Os funcionários e espaços auxiliares necessários para o funcionamento do bangalô e da propriedade foram alojados em edifícios existentes mais abaixo, escondidos pela copa das árvores, permitindo que o ocupante se desconecte completamente de todas as rotinas diárias.

            Em relação aos aspectos construtivos, alguns detalhes chamam atenção, em especial: o trio Madeira+Aço+Bambu, principais componentes construtivos; a modulação dos perfis, que integraram perfeitamente a forma à estrutura; o aspecto frágil adquirido graças às finas linhas dos materiais.

            Os níveis são conectados por uma escadaria quase externa, que traga privacidade aos dormitórios e "solte" a construção ainda mais do chão. Qualquer semelhança com uma casa de passarinhos ou uma casa na árvore não é mera coincidência.

            O telhado de duas águas, com inclinação acentuada e de certa forma, "torto", traz outro aspecto simpático à obra: esse desequilíbrio entre os dois lados, essa inadequação às leis naturais de simetria dão um caráter impessoal e convidativo.

 

 

FONTE: Arch Daily Brasil